Black Mirror

Esse fim de semana tive o prazer de assistir Black Mirror, uma serie britânica maravilhosamente perturbadora. Com duas temporadas e um especial de Natal, esta série de 2011 {sim, eu também me pergunto como nunca ouvi falar dela antes!} tem apenas sete episódios no total. Cada um deles com uma história, elenco e até mesmo realidades distintas, tendo como elo de ligação a tecnologia e seus efeitos na sociedade.

Como disse o criador da série, Charlie Brooker,  para o jornal The Guardian, “Se tecnologia é uma droga – e bate como uma droga – então quais exatamente são os efeitos colaterais? Aquele espaço entre o encanto e o desconforto é o ponto central da minha nova série. O “black mirror” do título pode ser encontrado em qualquer parede, escritório ou na palma de cada mão: a fria e brilhante tela de uma TV, um monitor ou um smartphone.”.

Se você {assim como eu} ama distopia, ficção científica e pitadas de cyber punk, vai se deliciar com cada um dos episódios, onde podemos assistir a sociedade se afundando em meio à tecnologias deturpadas ou pervertidas. Black Mirror é definitivamente uma das séries mais intensas e questionadoras que já vi, e tudo isso sem precisar de efeitos especiais grandiosos. O mais grotesco de tudo é perceber que alguns dos universos retratados não estão muito longe da nossa realidade, o que deixa essa série ainda mais perturbadora.
E prepare-se: você não vai sair o mesmo após assistir um episódio.

Você pode gostar de

6 Comentários

  1. Caraca, parece ser bem o tipo de coisa que gosto de assistir! Indicação anotada!
    Estou conhecendo seu bloguinho agora e adorando! <3
    Já até te add no FB, seja bem vinda ao grupo Blogueiras S/A, espero ver muitos projetinhos seus por lá, pois tem muito bom gosto! Beijão!
    4sphyxi4.blogspot.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *