Feminismo para iniciantes


“Garotas salvarão o Mundo” {Lisa Sterle}


Feminismo é provavelmente um dos assuntos mais controversos do momento. As pessoas tendem a acreditar que feministas são rebeldes sem causa, lésbicas que odeiam homens ou simplesmente garotas mal-comidas, e ainda dizem “não sou feminista nem machista, sou humanista”. Se você acredita em qualquer uma dessas coisas, hey, esse post é para você! 

Eu me identifico como feminista e apoio todas as mulheres {obviamente estou incluindo as mulheres trans aqui #duh}. Eu peço para que você abra seu coração e leia os textos a seguir, que eu tentei resumir o máximo possível, para que você entenda pelo que nós feministas lutamos. Os textos a seguir foram retirados de: Clara Averbuck e Papo de Homem.

“Ensinamos nossas garotas a se diminuir, se tornar menores. Dizemos para as garotas: “Tu pode ter ambição, mas não muito. Tu pode querer ser bem sucedida, mas não muito bem sucedida, do contrário, tu vai amedrontar os homens”. Por eu ser mulher, espera-se que eu queira casar, espera-se que eu tome as decisões da minha vida sempre lembrando que o casamento é a mais importante. Casamento pode ser uma fonte de alegria, amor e apoio mútuo, mas por qual motivo ensinamos as garotas a desejar o casamento e não ensinamos o mesmo aos garotos? Criamos garotas para que vejam umas às outras como oponentes, não por empregos ou conquistas, o que pode ser uma coisa boa, mas pela atenção dos homens. Ensinamos que elas não podem ser seres sexuais da mesma forma que os garotos são. Feminista: uma pessoa que acredita em igualdade social, política e econômica de gêneros.

Chimamanda Ngozi Adichie, escritora nigeriana.


O que é Feminismo?

Feminismo não prega ódio, feminismo não prega a dominação das mulheres sobre os homens. Feminismo clama por igualdade, pelo fim da dominação de um gênero sobre outro. Feminismo não é o contrário de machismo. Machismo é um sistema de dominação. Feminismo é uma luta por direitos iguais.

Há várias correntes dentro do feminismo, com pensamentos e posicionamentos distintos. Não há “o” feminismo, mas vários feminismos. Cada mulher constrói seu próprio feminismo. 

Existe essa grande falha lógica que é o sujeito achar que você tem que ser contra uma coisa pra ser a favor de outra; neste caso, “contra” os homens para ser “a favor” das mulheres. O feminismo não luta contra os homens, e sim contra o supracitado sistema de dominação, que, veja só, privilegia os homens e foi criado por… homens. Fica clara a diferença entre lutar contra um sistema e lutar contra todo um gênero?

Não sou Feminista, sou Feminina.
“Não sou feminista, sou feminina.” Como se isso quisesse dizer alguma coisa! Existe uma lenda de que ser vaidosa é antifeminista. Que uma mulher feminista não pode ser “feminina”. É mentira.

Existem algumas feministas que preferiram abandonar alguns dos procedimentos tradicionais de beleza, por considerá-los imposição da sociedade patriarcal. Por outro lado, também existem muitas feministas que andam de saia, francesinha nos pés e bolsa de oncinha nos ombros. E por que não andariam?

Tanto patricinhas depiladas de chapinha nos cabelos quanto ripongas peludas de sandália de couro podem ser feministas. Não existe nada no feminismo que seja necessariamente anti-esmalte nas unhas.

O feminismo defende direitos iguais e maior liberdade de escolha para as mulheres — e isso inclui a liberdade de pintar as unhas ou não, de ser juíza ou ser puta, de depilar ou não depilar, etc.

Homens e Feminismo

Homens: não digam às mulheres o que fazer.

Nada pode ser mais intrinsecamente machista do que você, homem, mesmo ó tão pró-feminista e ó tão razoável, querendo dizer às feministas como devem se comportar. Que “seriam mais ouvidas se fossem menos agressivas”. Que “deveriam ser mais dóceis”. Que não entende porque estão brigando logo com você, que é tããão fofo, tão pró-feminista, tão amigo!

Se você, homem, a essa altura do campeonato, ainda se acha no direito de dizer pras mulheres como devem se comportar; se acha que cabe a você determinar qual é a melhor maneira do feminismo alcançar seus objetivos; se acha mesmo que é aceitável esse tipo de comentário ao mesmo tempo autoritário e condescendente, então, meu amigo, você não entendeu nada. Mas tem conserto: fecha essa boca, abre esse ouvido.



Links interessantes sobre o assunto:
(Visited 5 times, 1 visits today)

Você pode gostar de

Paris

4 Comentários

  1. Gostei do teu texto. Um dos estereótipos que mais me irritam é o tal "não sou feminista, sou feminina". É patética a quantidade de mulheres (especialmente as mais jovens) que cultivam essa lenda de que feminista é uma mulher sem vaidade e amargurada.
    Aliás, o que é ser "feminina"? Quem criou a definição pra isso? Tem muitas formas de ser feminina sem ter a típica estética do que convencionou-se chamar de feminino.
    Se for assim então uma mulher musculosa, ou obesa, ou careca, ou sem seios não poderia ser feminina e isso é uma mentira.
    Além disso, uma mulher que se impõe e sabe se colocar diante de homens muitas vezes é chamada de pouco feminina.

    Dia desses eu tava vendo a Cissa Guimarães dando uma entrevista, e ela tava falando que era totalmente a favor do feminismo e até falou umas coisas relevantes. Mas no final disse que ela não se considerava feminista e sim feminina. Era melhor ter ficado quieta. Kkkkk.

  2. Exato, isso de "feminilidade" me incomoda, e muito. Algumas mulheres não tem peitos, outras não tem útero e algumas até tem pênis. Deal with it.

    HAHA é sempre uma decepção ouvir sobre feminismo na grande mídia. Mas vamos lutando aos pouquinhos, e é isso que interessa.

    Obrigada pelo comentário! ♥

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *