O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares

orfanato-peregrine1

O primeiro contato que tive com esse livro foi por meio de uma fotografia que vi na internet; nela, uma garotinha encontrava-se sozinha, parada na beira de um lago, e no reflexo na água havia não uma, mas duas crianças. Minha primeira reação foi pensar “COMO ASSIM eu nunca vi essa foto antes?”. Minha surpresa não foi injustificada: eu amo fotografias vintage e histórias de terror, e justamente por isso estou acostumada a ver sempre as mesmas imagens há anos e anos, acompanhadas de alguma história ‘aterrorizante’. Mas ver uma imagem tão bem feita despertou minha curiosidade; foi então que descobri que era parte do livro “O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares”.

Gente, olha essa capa. Orfanato, crianças peculiares e fotografias bizarras? Eu tive que comprar esse livro imediatamente, pois pensei que leria uma história fofinha de terror, do jeito que eu gosto. Eu odeio qualquer tipo de spoiler, e para mim até resenhas são spoilers, então quando comecei a ler não tinha a menor idéia sobre o que seria a história.

orfanato-peregrine4

Terror e suspense? Hum, acho que não. Qual não foi minha surpresa ao perceber nas primeiras páginas que o livro não era sobre nada disso? Ele é, na realidade, uma fantasia para o público pré adolescente, que realmente não é meu tipo favorito de literatura desde que, ahm, não sou mais adolescente. Enfim, mea culpa, eu que evitei saber sobre o livro e acabei tendo essa surpresa, por isso continuei a ler o livro sem mais empecilhos. Aliás, minto. Faltando pouquíssimas páginas para acabar fui ficando desesperada pois não seria possível dar um desfecho bom para a história, foi então que percebi que caí em outra armadilha: “Merda. Estou lendo uma trilogia!” – que não seria ruim se eu tivesse amado o livro, mas não foi o caso. Não que o livro não seja bom, mas ele não é meu estilo, e só de pensar que terei que ler mais dois para a conclusão da narrativa eu fico levemente angustiada. A história? Bom, vocês já perceberam que eu sou contra resenhas, então vou simplificar do meu jeito.

Jacob, quando criança, adorava ouvir as histórias de seu avô sobre o orfanato onde foi criado e as crianças peculiares que lá habitavam. Quando este morre, Jacob, já adolescente, vai atrás do orfanato, buscando respostas sobre a vida do avô.

orfanato-peregrine5

As fotografias são utilizadas ao longo do livro para ilustrar as crianças e alguns fatos descritos, e são de longe minha parte favorita. Imagine qual foi minha surpresa ao ler o seguinte disclaimer do autor, no fim do livro:

“Todas as imagens desse livro são fotografias antigas autênticas e, com exceção de algumas que passaram por leve tratamento, não foram alteradas. Elas foram emprestadas de arquivos pessoais de dez colecionadores, pessoas que passaram anos e horas incontáveis revirando caixas gigantes de retratos de todos os tipos em brechós, feiras de antiguidade e vendas de garagem para encontrar umas poucas fotos transcendentes, resgatando imagens de significado histórico e extraindo beleza da obscuridade – e, muito provavelmente, do lixo. Sua obra é um trabalho de amor sem glamour e acho que eles são heróis anônimos do mundo da fotografia.”

Imagine minha alegria ao saber que a melhor parte do livro é real! Não sei quais foram as alterações que fizeram nas fotos, mas eu não me importo, pois todas são fantásticas {devo admitir que imaginar o real contexto de cada fotografia me animou muito mais do que a própria narrativa}. Eu realmente achei as imagens incrivelmente realistas para serem atuais, pois acho muito difícil captar totalmente essa essência pitoresca sem ter um resultado forçado. Depois, procurando mais informações, descobri que inicialmente a idéia do livro era fazer uma história visual a partir de fotos antigas e exóticas, mas o autor decidiu criar uma narrativa e utilizar as fotos para ilustrá-la.

orfanato-peregrine3

 Para quem se interessou pelo livro, tenho uma boa notícia: Tim Burton está dirigindo a versão cinematográfica que deve sair em dezembro desse ano. O próprio diretor comentou: “Vocês tem certeza de que não fui eu quem escreveu esse livro? Parece algo que eu teria feito…”. Realmente, a narrativa tem muito do universo dele, e por isso temos a certeza de que o resultado será muito interessante.

Você pode gostar de

8 Comentários

  1. wow, você me descreveu. Tenho um certo pavor com trilogias também, me sinto que fico presa na história e a qualquer momento ela pode tender para um lado que não quero e me decepcionar de ter perdido tempo lendo aquilo. Não acompanho séries pelo mesmo motivo. As fotos são bem legais (acho que lindas não se aplica a esse tema) e dão um toque bem interessante à história.
    http://www.rumorandhorror.blogspot.com

  2. Marcela *-* esse filme é lindo mesmo, assista, porque eu fazendo o post, assisti vários trechos ahahhaa
    WOW que livro doido ahaha acho que eu compraria por causa das fotos ahaha porque amo fotografia, mas não pela narrativa, não sou muito adepta a coisas de suspense ahha mesmo que você tenha falado que não é suspense ahahaa
    Mas a capa é sensacional! ahahha

    beijos :*
    japona.mairanamba.com

  3. Até agora eu jurava que esse fosse um livro de terror/suspense, admito estar um pouco decepcionada, pois também não curto muito literatura juvenil, mas diferente de você eu até que curto trilogias e sagas, hahaha
    Apesar de tudo, ainda acho que vou comprar esse livro (mesmo não sendo de terror/suspense), pois ele já estava na minha lista há muito tempo, se eu não ler vou aguar que nem criança, hahaha

    Mago e Vidro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *